Carrapatos: como vivem, se escondem e como param em seu quintal

carrapatos

Se você tem um pet provavelmente já teve que lidar com eles: os carrapatos. Um tanto quanto inconvenientes, os carrapatos transmitem doenças ao se alimentar do sangue do hospedeiro. Conheça esse parasita e saiba como evitá-lo.

O que são os carrapatos?

Os carrapatos são ácaros aracnídeos, e não insetos, como muitas pessoas imaginam. Eles são divididos entre carrapatos duros e moles, dependendo de possuírem um escudo quitinoso ou não.
Quitina é um biopolímero resistente muito importante para a formação de carapaças e exoesqueletos. Os carrapatos que possuem uma camada de quitina são mais resistentes e chamados de carrapatos duros, enquanto que os outros são considerados carrapatos moles.
A título de curiosidade, os carrapatos duros se diferenciam bastante entre macho e fêmea. A fêmea não é inteiramente coberta de quitina por que come mais, a ponto de seu corpo ficar dilatado. Já o macho é completamente coberto com o biopolímero e não sofre tanta dilatação ao se alimentar.
Os carrapatos de corpo mole mudam drasticamente de forma dependendo de estarem ou não alimentados (ingurgitados). Quando ainda não sugaram o sangue do hospedeiro, seu formato é quase plano, porém, se estiverem cheios de sangue, ficam roliços.
Já os carrapatos de corpo duro são os que mais interessam os veterinários, pois são os maiores transmissores de doenças. Os mais comuns são os chamados carrapatos marrons, bastante abundantes em cachorros.

Carrapato marrom

O Rhipicephalus sanguineus é altamente adaptado à áreas urbanas e transmite doenças como a erliquiose, babesiose e hepatozoonose. Ele pode ser encontrado no interior de residências, ao contrário do carrapato-estrela (Amblyomma cajennense) que fica escondido na vegetação.
O carrapato marrom tem um ciclo de vida dividido em 4 fases: ovo, larva, ninfa e adulta. No melhor amigo do homem, podemos encontrar três fases da vida do carrapato: a larva, a pulpa e a adulta. O cachorro é hospedeiro do carrapato marrom, que é vetor de doenças, portanto fica muito vulnerável à ação do ácaro.

Hábitos

Apesar de passar boa parte da vida no cachorro, o carrapato marrom troca de fase fora do cão: apenas no ninho. Isso acontece porque o carrapato na verdade não “mora” na pele do cachorro, e sim se alimenta do sangue do animal. Os carrapatos saem do ninho em busca do cachorro para se alimentar, portanto é possível encontrá-los em movimento pela casa e quintal.
As larvas do carrapato marrom podem ficar até 60 dias sem se alimentar e não são visíveis a olho nu. Já as fases adultas aguentam cerca de 200 dias sem alimento e podem ser vistas.
Ele é um animal que tem hábitos noturnos e não gosta de ficar no chão. Geralmente, seus ninhos ficam em locais levemente elevados, sem umidade e com pouca luz. Exemplos são frestas na estrutura da casa, batentes de porta, atrás de quadros e móveis ou no estrado de camas.
O carrapato marrom sai à procura do cachorro ao entardecer ou de noite para se alimentar, pois é quando a temperatura cai. É importante notar que geralmente os ninhos do carrapato ficam próximos de onde o cachorro dorme.
Para encontrar os ninhos, procure em locais elevados próximos à casinha do seu cachorro. Também faça a busca em horários mais frescos do dia, pois é quando os carrapatos estarão em movimento.

carrapatos
Imagem: Shutterstock

Carrapato-estrela

O Amblyomma cajennense é o principal vetor da febre maculosa no Brasil. O carrapato-estrela pode parasitar cães, gatos e o ser humano. Esse carrapato também pode parasitar cavalos e animais silvestres.
O ciclo de vida do carrapato-estrela é peculiar. Demoram cerca de 60 dias para sair dos ovos e saem à procura de um hospedeiro. Ficam no hospedeiro por cerca de uma semana, se alimentando.
Após isso voltam para o ninho e realizam a primeira muda, virando ninfas. Depois dessa muda, podem ficar cerca de um ano sem hospedeiro. Quando encontram um, passam, novamente, uma semana se alimentando dele. Em seguida voltam novamente para o ninho e realizam uma segunda muda, virando adultos. Quando se tornam adultos, diferenciam-se entre macho e fêmea e podem ficar até um ano sem se alimentar.
Ao contrário do carrapato marrom, o carrapato-estrela costuma ficar encoberto pela vegetação. É mais comum em áreas rurais, porém não é difícil encontrá-lo em regiões urbanizadas.
Em 2018 a UFSCar alertou sobre uma infestação de carrapatos-estrela na cidade de São Carlos. A preocupação fez a universidade aconselhar a população a evitar a região da Represa do Rio Monjolinho. A febre maculosa é uma doença grave, mas que se tratada a tempo, é reversível.
O carrapato-estrela transmite a bactéria causadora da doença tanto na fase adulta quanto nas de larva e ninfa. Infelizmente, só conseguimos sentir a picada do carrapato adulto. Os sintomas da febre maculosa começam a aparecer 7 dias depois da contaminação.
Para a transmissão da febre maculosa o carrapato deve ficar fixado por cerca de 4 horas no hospedeiro. Por conta disso, a transmissão é mais comum na fase de larva ou ninfa, uma vez que a picada do carrapato adulto é dolorosa.

Prevenção

A melhor maneira de lidar com essas doenças infecciosas é a prevenção. O carrapato marrom utiliza o cão como hospedeiro. Então é importante manter o ambiente em que o animal se encontra com medidas apropriadas para evitar a proliferação do ácaro.
Muitas pessoas acreditam que um quintal limpo é o suficiente. Porém, já verificamos que o carrapato marrom não precisa de muito para se esconder. É de extrema importância aplicar produtos específicos para carrapato no ambiente em que seu cachorro fica. Produtos de limpeza não matam carrapatos!
Além disso, devido ao ciclo de vida do carrapato, novos ovos podem eclodir caso o veneno não seja aplicado com a periodicidade correta. Caso você já esteja no meio de uma infestação de carrapatos, é indicado contratar o serviço de um exterminador profissional. Nem todas as espécies de carrapatos reagem da mesma maneira à aplicação de produtos comuns, é de extrema importância ouvir a palavra de alguém especializado.
Além disso, é importante evitar se sentar ou deitar em gramados, pois o carrapato-estrela se esconde na vegetação. Em momentos de contato com a natureza, é importante checar o corpo em busca dos ácaros. Lembre-se que os adultos são visíveis a olho nu.
Sempre utilize carrapaticidas nos cães e gatos, siga corretamente o modo de uso e a periodicidade. Não deixe seu bichinho de estimação sofrer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *